Cidades que flexibilizaram quarentena têm aumento de até 266% nos casos de Covid

Foto: Flavio Tavares

Nova Lima começou a autorizar o funcionamento de lojas no dia 5 de maio, voltou atrás e impôs novas regras, mas de lá para cá a cidade teve um aumento de 49,5% nos casos confirmados de coronavírus.

Por PAULA COURA

A flexibilização de decretos que permitem a reabertura parcial de setores da economia já tem sido diretamente responsável por um aumento do número de casos de coronavírus. Em algumas cidades, esse crescimento chegou a 266,7% em apenas 19 dias. É o caso de Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Ainda em 8 de maio, a cidade da Grande BH começou uma intensa fiscalização para que os estabelecimentos seguissem as normas, que impedem aglomerações e adoção de medidas sanitárias para impedir a propagação do vírus. As equipes de fiscalização chegaram a interromper uma partida de futebol no campo do bairro Jardim Primavera, na região de Justinópolis.

Questionada sobre as atuais ações de enfrentamento do coronavírus, como fiscalizações e capacidade hospitalar para atender a casos da enfermidade, a prefeitura de Ribeirão das Neves, através da Secretaria de Saúde, informa que no município ainda não há leito de UTI, mas na urgência existem duas pessoas internadas e na enfermaria três pessoas internadas, suspeitas de COVID-19. Os pacientes estão internados no Hospital de Campanha Upa Acrízio Menezes (Justinópolis).

Segundo a prefeitura, além da Guarda Municipal, de funcionários Vigilância Sanitária, do apoio da TransNeves e da Polícia Militar, o município conta hoje com uma equipe de aproximadamente 100 servidores atuando como ‘Orientador COVID’, que está dividido em equipes de rua, que preparam a população para o uso de máscaras, evitar aglomerações e cuidados pessoais. “Não ocorrem autuações e sim orientações para os comerciantes sobre como proceder e atender a população sem aglomerações nas dependências comerciais oferecendo uso de gel e a obrigatoriedade do uso de máscaras também dos colaboradores”.

Sete Lagoas

Também com lojas de portas abertas desde o início do mês, Sete Lagoas, na região Central, permitiu até mesmo o funcionamento de shopping com 50% da capacidade e escalonou o horário de abertura de grande parte do comércio. Do dia 8 de maio ao dia 27 do mesmo mês, a cidade viu o número de casos de coronavírus saltar de 10 para 26, um aumento de 160% nas notificações.

Reação

Para tentar conter a pandemia, a cidade adotou uma série de medidas, como aumento da fiscalização e monitoramento da evolução dos casos. Atualmente, a capacidade de atendimento do hospital municipal para suspeitas de Covid-19 está em 18,8%, um pico após os 15,4% registrados em abril. Na UPA, a ocupação de leitos clínicos tem estado em torno de 16%, e a de leitos destinados a pacientes graves na Ala Covid, de 5%. Uma equipe extra de profissionais foi montada para atender a demanda extra de casos.

“Nosso monitoramento mostra que, diariamente, são atendidos lá uma média de 20 pacientes com sintomas de síndrome gripal. Esses pacientes passam por atendimento e recebem alta no mesmo dia. Em torno de 13 precisam ficar em observação diariamente. Desde abril, apenas 20 pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave foram admitidos na UPA e, apresentando piora, precisaram ser transferidos para o Hospital Municipal”, disse a prefeitura, em nota.

Sobre a reabertura do comércio, empresas que não seguirem os protocolos sanitários podem ter o alvará cassado. Duas empresas foram punidas com a suspensão dos alvarás por 90 dias. A Guarda Municipal de Sete Lagoas, realizou, entre 16 de março a 22 de maio, 1.036 ações preventivas de educação e conscientização, 1.154 notificações referentes a aglomerações, 316 fiscalizações em filas de bancos e lotéricas, além de 258 outras abordagens, em um total de mais de 2.700 ocorrências. As equipes da Vigilância Sanitária já notificaram 352 empresas no mesmo período.

“Não podemos falar em uma situação sob controle, visto que estamos lidando com um cenário de crise, de instabilidade, em que tudo é novo. Mas Sete Lagoas tem se preparado para enfrentar a crise. Foi uma das primeiras cidades do país a publicar um decreto declarando situação de emergência em saúde, apenas cinco dias após a declaração da pandemia pela OMS, quando ainda não havia nenhum caso confirmado aqui. Acreditamos que isso foi um fator decisivo para que freássemos o avanço da doença e tivéssemos tempo de preparar a cidade para o enfrentamento”, afirmou a prefeitura.

Nova Lima

Com idas e vindas em decretos que autorizam a abertura de parte do comércio, Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, começou a autorizar o funcionamento de lojas no dia 5 de maio. Depois, voltou atrás e impôs novas regras, praticamente decretando uma “lei seca” na cidade, já que restaurantes, por exemplo, estão proibidos de comercializar bebida alcóolica para consumo no local. De lá para cá, a cidade teve um aumento de 49,5% nos casos confirmados de coronavírus. Uma pessoa morreu vítima de Covid-19 entre os dias 5 e 27 de maio.

Nova Lima aderiu, conforme determinação da Justiça, ao programa Minas Consciente, do governo de Minas, com instruções para reabertura gradual do comércio em cidades com condições de fazê-lo, levando em conta o número de casos e a capacidade do sistema de saúde para atender a novas eventuais notificações. Segundo a Secretária de Estado de Saúde, ao todo, 84 municípios já aderiram ao programa, impactando uma população de 2.214.090 milhões de pessoas em Minas. Nova Lima, por sua, já está na onda branca, que prevê reabertura de atividade de baixo risco. Clique aqui e veja outras cidades. 

Questionada sobre as atuais ações de enfrentamento do coronavírus, a Prefeitura de Nova Lima informou que mais de 3.000 ações de notificações, orientações verbais e atendimento a denúncias já foram realizadas pelo poder público. Dois estabelecimentos foram interditados.  

O Executivo municipal reiterou que o uso de máscaras segue obrigatório para que sair de casa e que 2.000 testes de Covid-19 estão sendo adquiridos pelo município para tornar mais eficaz a notificação dos casos.

“O governo municipal reitera que a flexibilização do comércio não representa um relaxamento no isolamento social. Todos os cuidados contra a doença devem ser mantidos: fazer a higienização correta e constante das mãos; evitar tocar estruturas diversas, como pontos de ônibus; entrar somente nos estabelecimentos comerciais que respeitem as normas de funcionamento; e, principalmente, manter o isolamento social, ou seja, só sair de casa se realmente for necessário”, disse a prefeitura, em nota. 

Texto original: https://www.otempo.com.br/cidades/cidades-que-flexibilizaram-quarentena-tem-aumento-de-ate-266-nos-casos-de-covid-1.2343081

Dicas para pais e alunos se organizarem para estudo em casa

  • É importante manter uma rotina diária e ter horário reservado para os estudos;
  • Não procrastine nas atividades, pois o conteúdo pode se acumular (como aconteceria nas aulas físicas);
  • Também não é necessário correr para produzir à frente do que está no cronograma;
  • Não hesite em pedir ajuda aos professores e coordenadores, pois o cenário é diferente e a adaptação pode não ser imediata;
  • Pais também devem tentar não ficar ansiosos com a situação e pressionar os filhos, pois o contexto é desafiador para toda a família;
  • Não se esqueça de tentar praticar alguma atividade física em casa (é essencial para a mente e para o corpo)

TEXTO ORIGINAL:

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

FONTE: Estado de Minas; Revista Encontro

Tags:, , , , , , ,
Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos de ajudar?