Cervejaria Backer contesta laudo da Polícia Civil

Oito regiões, inclusive fora de Minas Gerais, receberam o lote da cerveja Belorizontina em que a Polícia Civil constatou a presença da substância tóxica dietilenoglicol. No estado, as 33 mil garrafas foram distribuídas para Belo Horizonte e municípios da região metropolitana, Tiradentes, na Zona da Mata, Ouro Preto, na Região Central, e para o Centro-Oeste de Minas. A bebida, produzida pela cervejaria Backer, também chegou aos estados de São Paulo e Espírito Santo, além de Brasília (DF). Já são 10 os casos suspeitos de pacientes intoxicados pela substância, sendo que em três deles houve a confirmação do agente químico em exames de sangue.

Em coletiva de imprensa, a diretoria da Backer contestou o laudo da Polícia Civil (PC) e afirmou que o dietilenoglicol não é usado em seu processo produtivo. No fim da tarde de ontem, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou a interdição preventiva da fábrica. A empresa informou que a indústria seria fechada hoje para a inspeção dos tanques e maquinário da empresa por parceiros. A cervejaria também vai enviar amostras da cerveja Belorizontina para análise laboratorial.

Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2020/01/11/interna_gerais,1113680/backer-contesta-laudo-da-policia-civil-e-tambem-fara-analises.shtml

Tags:, ,